Publicado por: . | 04/08/2012

As Origens do FBI

O FBI originou-se a partir da Força Especial de Agentes, criada pelo procurador-geral Charles Bonaparte, em 1908, durante o Governo de Theodore Roosevelt. Os dois, o Presidente e o Procurador eram progressistas e compartilhavam da convicção de que a eficiência, habilidade e não conexões políticas iriam determinar melhor serviço ao Estado.

A Constituição dos Estados Unidos tem por base o federalismo: a União tem jurisdição apenas sobre o comércio interestadual e negócios estrangeiros, ficando os demais poderes reservados aos Estados.

Nos primeiros anos do Século XX, o desenvolvimento do comércio e dos transportes gerou expectativa favorável ao estabelecimento de um órgão de investigação federal nos Estados, dentro dos limites impostos pela lei.

O povo americano compreendeu e aceitou o intervencionismo da União nas unidades federadas, em grande parte impulsionado pelo seu espírito idealista e reformista, o que originou a chamada “Era Progressista”, de 1900 a 1918. A geração que viveu nessa época acreditava na intervenção do poder central nos estados, para produzir justiça numa sociedade eminentemente industrial. Para ela, o presidente Theodore Roosevelt personificava o progresso no plano nacional.

Uma força federal de investigações consistia em especialistas treinados e disciplinados para combater a corrupção e o crime, metas do Plano de Governo de Roosevelt.

O procurador-geral Bonaparte partilhava dessa filosofia progressista, mas o Departamento de Justiça não possuía em seus quadros funcionários de carreira capazes de vestir a capa de investigadores, exceto um pequeno grupo de examinadores (treinados como contadores), para fiscalizar as transações financeiras envolvendo o Governo Federal e a Corte de Justiça. Desde 1870, o procurador usava fundos reservados a investigação de crimes federais[1], para contratar detetives e investigadores de outras agências.

Por volta de 1907, o Departamento de Justiça foi responsabilizado por esse trabalho. Seus homens passaram por um treinamento relativamente caro, mas não se reportavam diretamente ao procurador, e sim, ao Chefe do Serviço Secreto. Tal situação frustrou Bonaparte que não mediu esforços no sentido de controlar todo o processo.

Em 27 de maio de 1908, uma lei leva o Departamento de Justiça a assumir as operações do Serviço Secreto. No mês seguinte, Bonaparte criava a Força Especial de Agentes, requisitando 10 funcionários do Serviço Secreto para iniciar os trabalhos. No dia 26 de julho do mesmo ano, Stanley W. Finch surge como chefe da nova organização.

Tanto o presidente Theodore Roosevelt quanto o procurador Bonaparte, por ocasião do fim de seus mandatos, em 1909, recomendam que essa força especial de 34 agentes seja efetivada no quadro organizacional permanente do Departamento de Justiça. O sucessor de Bonaparte, George Wickersham, chama o novo órgão de Departamento de Investigação.


[1] Crimes Federais são aqueles considerados interestaduais ou praticados em áreas de reserva do Governo Federal americano.

 Texto extraído do Livro  Sistema de Inteligência dos Estados Unidos do Professor Raimundo Teixeira de Araújo, que foi meu Professor na ESG/RJ.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 420 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: