Publicado por: . | 07/07/2012

História da Inteligência Americana – Parte I

A GUERRA DA INDEPENDÊNCIA

As origens do Intelligence Service dos Estados Unidos remontam à Guerra da Independência das treze colônias, de 1776 a 1787. O processo começou com a Lei do Chá, que dava à Companhia das Índias Ocidentais o monopólio do comércio do chá. O fato não foi bem recebido pelos colonos que, disfarçados de peles vermelhas, jogam no mar toda a carga de três navios da companhia ancorados no Porto de Boston.

Os britânicos reagem enfurecidos e decretam uma série de leis, batizadas pelos americanos de “Leis Intoleráveis”. Uma delas previa pesada indenização pela perda da carga de chá, além da identificação dos envolvidos e o julgamento de todos por uma Corte inglesa.

Os colonos não aceitam e reúnem-se no Primeiro Congresso Continental de Filadélfia, sem qualquer objetivo separatista, pretendendo apenas protestar contra essas leis. Entretanto, o Governo de Sua Majestade não ouviu e os fatos convergem para o Segundo Congresso Continental de Filadélfia, culminando com o processo de independência e a guerra contra a metrópole.

Reconhecendo a necessidade de uma organização de Inteligência capaz de suprir as necessidades de conhecimentos sobre o inimigo, o Segundo Congresso Continental de Filadélfia decidiu pela criação do Comitê de Correspondência Secreta, em 29 de novembro de 1775, designando as seguintes personalidades como membros da Comissão Diretora de Inteligência da América: Benjamin Franklin, da Pensilvânia; Benjamin Harrison, da Virgínia; John Jay, de New York; John Dickson, da Pensilvânia; Thomas Johnson, de Maryland.

Algum tempo depois, foi incluído no grupo o professor James Lovell, que havia sido acusado de espionagem e preso pelos ingleses logo após a Batalha de Bunker Hill. Trocado por um prisioneiro de guerra britânico, conseguiu eleger-se para o Congresso Continental de Filadélfia. No Comitê de Correspondência Secreta tornou-se perito em códigos e cifras, realizando um trabalho de grande valia para os planos militares do general George Washington.

O Comitê Secreto

Para equilibrar a situação diante da rápida ascensão do Comitê de Correspondência Secreta no processo decisório americano, o Segundo Congresso de Filadélfia criou, por resolução de 18 de setembro de 1775, o Comitê Secreto com amplos poderes e extensa verba para comprar secretamente víveres, armas e munição para o Minute-men. Foram adquiridos, principalmente, grandes carregamentos de pólvora de comerciantes privados, para distribuição aos serviços de intendência do exército. O Comitê administrava também o fornecimento de uniformes aos soldados.

Para cumprir sua missão, o Comitê Secreto não precisava de autorização formal dos congressistas e assegurou o sigilo de suas operações destruindo todos os seus registros. Em diversas ocasiões, seus agentes operavam em conjunto com os do Comitê de Correspondência Secreta, num trabalho freqüente de cooperação mútua, que trouxe bons resultados e contribuições valiosas para as campanhas militaresem andamento. Algunsagentes foram enviados às colônias do sul, para saquear armazéns de abastecimento ingleses.

Texto extraído do Livro  Sistema de Inteligência dos Estados Unidos do Professor Raimundo Teixeira de Araújo, que foi meu Professor na ESG/RJ.


Responses

  1. Uma Boa Tarde Nobre e Magnífico COMdte e Amigo. Não sendo própriamente resposta ao interessantíssimo tema postado, mui honestamente não encontrei outra forma de o fazer: quero agradecer a oportunidade de palestrar no dia de hoje, 11 Julho, uma vez mais para os COMDts na Prestigiada Morada do COMANDO GERAL no Tema COMUNICAÇÃO DE CRISES, seu Voto de Confiança e o Certificado pelo qual foi distinguido por V. Exas atribuído com todas as honrarias. Mui reconhecido, disponha sempre que julgar oportuno para temas das minhas áreas de interesse. Abraço Leal. Alvaro Monteiro.

    • Prezado Alvaro, agradeço suas palavras, peço minhas desculpas por não ter lhe cumprimentado pela passagem no Quartel no dia de hoje, pois estive com muitas atribuições, aproveito a oportunidade para lhe agradecer pela Palestra proferida aos Oficiais desta Instituição.

  2. gostei da postagem! gostaria que o Sr visita-se meu blog: http://daquipracola.blogspot.com.br/ Conhecendo o Rio Grande do Norte

    • Prezado Cb Jales, parabéns você mostra a nossa terra no seu Blog.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 428 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: